Ah, meu Pico Paraná

O Pico Paraná é uma vadia velha, acostumada à vara grossa, até parece que nunca foi moça. Suas entranhas estão alargadas e qualquer um passa a mão em sua bunda murcha, em suas tetas caídas. Transar o Pico Paraná só é bacana para os virgens, que nunca subiram uma montanha na vida, tamanho o bordel que ser formou em seu entorno. É para aqueles caras que não tem dinheiro pra pagar puta de grife ou não tem moral pra varar mato por conta e risco próprios. Tanto que gozam rapidinho, logo no primeiro cume que comem.

Foto montagem do Pico Paraná visto cume do Itapiroca, Serra do Ibitiraquire.

Foto montagem do Pico Paraná visto cume do Itapiroca, Serra do Ibitiraquire.

Fique Informado

Escolha a maneira como você gostaria de ser avisado dos próximos posts

Bookmark & Share

Compartilhe com os seus camaradas

31 Comments

  • Ótimo post, Vínicius.
    Abraço!

  • Assim falou o grande e poderoso montanhista que tem moral de varar mato por conta e risco próprio.
    Acho que o grande problema dessa galerinha de montanhistas de Curitiba é achar que as montanhas da serra do mar são só deles…é uma pena.
    Por isso desprezo qualquer grupo que se intitule defensor das montanhas do Paraná. Na verdade criam regras idiotas que são seguidas por outros idiotas.

  • Montanhas prostituidas e montanhistas punheiteiros é que mais existe por aí. ótimo post!

  • Luciano Blaszkowski

    E todo aquele que escala o PP é automaticamente um punheteiro? Ou vai da atitude da pessoa por lá?

  • Agradeço pelas palavras.

    Uma vadia velha deve ter sido uma vadia boa na juventude. Se eu quisesse algazarra, faroferos, tumulto, flanelinha guardando carro, treta por escadinha e merda pelo caminho, eu iria ao Parque Barigüi, que é muito mais perto da minha casa.

  • Que blz Lorinha rsrsrsr

  • Puta merda….perfeito, o post e a imagem, muito bem imaginada ahahahahah
    Não nos conhecemos, mas não pude deixar de registrar a leitura e o apoio! kkkkk
    Abraços

  • Antonio José

    Pessoalmente, embora virgem do Pico da Punheta, acho ótimo que existam um ou dois lugares pros montanhistas de Nike Shox poderem farofar e curtir seus Sertanejos e Axés.
    Por pouco ou porco que seja, lhes dá alguma noção de Natureza e oportuniza situações em que podem mostrar do que são feitos.
    Enquanto isto, os demais montanhistas caminham pela Serra.
    Btw, Rodrigo, não generalize. Informe-se e verá que está confundindo os grupos.
    Os ‘donos’ têm casas na Serra e gostam de fazer ameaças ;)

  • eveson hostins

    Realmente quem não tem peito para
    subir uma montana. Critica homens,
    grupos,e pessoas que sabem como fazer
    as coisas….

  • Luciano Blaszkowski

    Eu sei que eu estava bem invocado quando escrevi meu post anterior, ainda sob efeito da retirada das escadinhas, que pode até ter sido feita na boa intenção, mas a prática foi ruim no sentido de não ter sido discutida com nenhum grupo de interesse.
    Quanto à metáfora poética deste texto… ah, eu até tenho vontade de pegar umas virgens, mas sei que pra trazer amigos pra serra que são um tanto quanto virgens, ficaria complicado leva-los de cara ao Sete, por exemplo. Então

  • Luciano Blaszkowski

    Eu sei que eu estava bem invocado quando escrevi meu post anterior, ainda sob efeito da retirada das escadinhas, que pode até ter sido feita na boa intenção, mas a prática foi ruim no sentido de não ter sido discutida com nenhum grupo de interesse.
    Quanto à metáfora poética deste texto… ah, eu até tenho vontade de pegar umas virgens, mas sei que pra trazer amigos pra serra que são um tanto quanto virgens, ficaria complicado leva-los de cara ao Sete, por exemplo. Então eu os levo pra gozarem em lugares onde não precisam fazer grandes esforços pra gozarem. O que não quer dizer que a condição de virgem seja melhor ou pior que a do não virgem. São condições apenas diferentes. Mas a questão é realmente a do PP Circus que se formou em volta, falta pouco praquilo virar um Barigui em CGS, e atualmente a montanha (não só lá, mas em muitos lugares) é vista não como um lugar de encontro consgo e talvez até com Deus, mas como um local onde se tira fotinhas pra mostrar prux migux ki nunka tiveraun nu kumi du pepê

  • @Luciano: Bacana seu comentário! :-)

    Eu entendo perfeitamente tudo o que você quis dizer, como agora, também acredito que você entenda o que eu escrevi. É isso, o circo interessa a alguns, não a você, não a mim.

    Grande abraço!!

  • Quer ter a montanha só para vc? então vá nos “dias úteis”, tenho muita vontade de voltar lá no Pico Paraná mas quando penso nos abobados que vou encontrar pelo caminho no final de semana procuro me desviar normalmente para o Cerro Verde mas quero ver aquele lugar lindo lá de cima por isso vou durante a semana… o trabalho q se dane!!! e sinceramente se todo mundo colaborasse com a manutenção da trilha e não ficasse “chapado” de tanta porcaria q consome no caminho aquele lugar seria o que ele deve ser, um refugio dessa vida louca!

  • Uma coisa não tem relação com a outra. Pra mim interessa o fim do circo, não visitar o circo quando não tem crianças por perto. E pra seu governo, e de todos aqui, comprei o meu pedaço de montanha na serra, então já tenho a minha montanha só pra mim.

  • Que blz Lorinha rsrsrsr

  • Ao invés de criticar o q fulano ou beutrano faz o q faz por lá pense na primeira vez q vc avistou aquilo tudo. E pense q tem gnte trabalhando, por mais q seja alheio aos olofotes, pra q se conscientizem pessoas q partilham daquela imensidão de q outros estão por vir. E o q interessa msmo é a diversidade, se tem nego q vai subir de shox a serra, de allstar, sandalha, descalço, com a camisa do ibis, e q cante lá do alto, cada um com seu jeito de levar a vida. Não é um recanto excluso. Há restrições para atitudes e não p/ pessoas. Já q vc teve e tem a oportunidade de enxergar tudo com mais clareza e com mais obviedade, tenta passar isso pra outros, e não do jeito q ce fala meu chegado, dando tanto ar de tamanha sabedoria

  • GPRS ou George, primeiramente, desculpas pela demora em responder. Em segundo lugar, eu lembro bem da primeira vez que eu visitei a região. Em terceiro, pra seu governo, e de quem quiser, sou diretor de ong, também invisto meu tempo trabalhando na região. Quarto, é impossível esconder este meu ar de sabedoria. Quinto e último, apareça outras vezes por aqui.

  • esse testo e idiota pra CARAI

  • Tantas pessoas falam isso e aquilo, de que interessa? O P.P é simplesmente um ótimo lugar para uma caminhada, que as pessoas não deveriam jogar lixo, e respeito é oque falta entre as próprias comunidades da montanha com discussões a respeito da melhor forma de manter ou preservar, mas parece que nunca saem do lugar.
    Com respeito as escadas, eu acho que elas nunca deveriam ter sido colocadas, para facilitar oque? Taí, eu acho que a culpa de toda a bagunça do P.P é das “escadas” sem elas muita gente não se arriscaria a trepar na velha!

  • Sou montanhista a 14 anos, e ler um texto como esse chega ser engraçado, uma que você está certo no que se refere ao ” PP”, ele é batido mesmo o pessoal de vários grupos tentam fazer o que pode para melhorar a trilha e diminuir a erozão, concordo também que exitem várias pessoas que fazem parte de um grupo e que colocam uma bota importada do pé imprimem um mapinha e querem ser os bambambans da serra, mais o montanhismo nos faz superar tudo isso e quebrar esses universos opostos independente disso tudo cara, de quem tem grana de quem está indo pela modinha de revista o máximo de público que tivermos é melhor, não podemos pensar que a serra é do ” cpm “, ou do nas nuvem porque eles estão sim na atividade organizados caminhando enquanto nos pegando rabera em um trem porque somos os ” RATOS DA SERRA “, nike shox´fica bunitinho para os pia de prédio nos fazemos intera para comprar carga do fogareiro, mais nosso espírito nunca esqueçe a morrada e abenção que é ser índio, filho da serra do mar paranaense,,,,, é isso ai bhother apoiado…..

  • Acyr Nogueira

    Gostei do seu ponto de vista no entanto não se deve generalizar, não são todos que tem o privilégio de subir e deslumbrar o PP porém muitos do que sobem são pessoas “punheteiras” que não sabem valorizar a dádiva de se ter uma montanha tão bela e de tão fácil acesso… Torço como vc para que o PP não se torne mais um bordel woodstock…

  • Escreveu uma poesia caro amigo. Me lembrou o Bukowski!

    Abraços!

  • no meu ponto de vista, acho somente que tem que haver mais respeito pela trilha rapaziada, afinal ela nos leva até aquela montanha que muitos pensam de chegar até la ..temos que cuidar dela…assim teremos mais visitantes..se playboy ou favelado vai lá é porque gosta do que tem la, da vista maravilhosa que se tem la encima.
    O montanhismO supera tudo isso que ocorre, da falta de respeito pela vida que pessoas tem…mais é so curtir o local e pronto…relaxa a cabeça e dexa a natureza te levA….

    Apoiado aE gente do montanhismO consciente.

  • É uma pena que nem a altitude das montanhas consegue elevar o espírito de alguns, que preferem se situar sempre abaixo do umbigo.

  • Qualquer pessoa antes de falar mal das montanhas, em especial o “PP” Pico paraná para os desinformados que falam bobagens, pq não coloca uma mochila nas costas e não caminha horas a fio sob sol ou chuva e vá lá ver o que é essa “punheteira” que alguns M…falam…na verdade as montanhas não são pra qualquer um, quem conhece sabe o resto a pr´pia palavra já diz, é “resto”.

  • O Pico do Paraná é perfeito, como todas as montanhas o são! O que é inaceitável são os fanfarrões, que igualam a subida de uma montanha a um passeio no shopping! É por essas e outras que admiro o velho Renhold Messner… este sim é montanhista de coração!

    (…)’Eu nunca pus uma chapeleta (bolt) em toda a minha vida e nunca irei pôr uma proteção fixa numa rocha. Se eu não puder escalar sem uma destas proteções, eu não escalo. Nunca usei garrafas de oxigênio. Se eu não puder escalar sem oxigênio extra eu não escalo mais alto. Isso não é uma decisão difícil.

    E eu nunca irei carregar um telefone celular comigo. Se eu carregar um aparelho destes, significaria destruir aquele sentimento de estar isolado e exposto que eu sempre procuro nas montanhas.

    Estas são apenas as minhas regras. Agora que estou ficando mais velho eu apenas sonho em escalar montanhas menores,ou esquiar em áreas como a Antártica ou em áreas desérticas.

    Eu sempre tento fazer esse tipo de coisa sem ajuda de fora. Depois de uma vida de nômade político eu irei passar pelo menos meio ano no meio da selva com apenas uma mochila – e ninguém saberá onde eu estarei indo.’ – (Reinhold Messner)

    Perfeito, não!?

    Mara

  • eu não tive o prazer de subir o parana ainda, sera que por isso sou pia de predio ? eu não tenho equipamentos especializado pra todas as situações, mas tenho gosto de chegar la em cima e ver que o mundo é nosso, cabe saber usar da melhor forma possivel, realmente concordo que la não é barigui, mas a montanha esta la pra quem tiver disposição e pra quem sabe admirar a blz que estar tão perto de Deus. E farofeiros realmente se vão la pra avacalhar, vão pro barigui, la sim é lugar de farofear.

  • Alberto Heitor Molinari

    Na última vez em que fui ao PP, há 19 anos, fui com um tênis velho, uma mochila surrada e uma porcaria de barraca canadense, que ao final não resistiu aos pequenos “furacões” que rolaram pela madrugada e acabaram levando uma parte dela embora. Eu não sabia que eu havia sido um farofeiro. Na verdade eu me senti um herói, por guiar a minha (então) recém esposa à montanha que eu amo, por ter conseguido manter a minha barraca presa ao chão (apesar da vontade contrária da montanha). Eu pensava que passar 2 dias em total contato com a mata nativa e chegar ao cume de uma montanha de mais de 1800 metros de altitude após 7 horas de caminhada (uma eternidade para os profissionais obviamente) era uma atividade reservada a pessoas com corpe e mente saudáveis.

    A prosaica poesia acima me coloca um temor do que vou encontrar no meu retorno ao PP, após 20 anos de jejum. No lugar daquele pessoal de mente livre, que por lá perambulava em total harmonia, encontrarei cambadas de playboys bebuns ou ordas de alpinistas arrogantes? Ou esta poesia consiste meramente de um delírio do seu autor?

  • ” Não sei, mas… acho que cada coisa está no seu lugar. Ninguém deve ser dono de nada. Cada um escolhe o que serve pra si. Se está bom, está bem. Se não, muda. Dá uma olhada em outra coisa. Vai em dia de semana, ou com chuva. Não vai ninguém! Mas ir em feriadão… é pedir pra sofrer. Nossa cidade e arredores está lotada de gente como nunca. E o que vamos fazer? Impedir as pessoas? Ou nos adaptarmos e seguir, cada qual a sua escolha? Estar no PP é sempre bom, um belo exercício e um belo visual, se der sorte. É seguro ter o Edilson pra cuidar do carro. Se queremos morar onde tem tudo, esse é o preço. Vai ter gente pra caramba. E vai ter de tudo quanto é tipo. Mas se optarmos por morar longe, não vai ter nenhuma facilidade. Isso é lógico.
    Então… façam suas apostas, senhores! A vida é sempre bela. Basta escolher a lado que mais agrade. A vida será sempre bela. Se quisermos encontrar problemas, basta procurar. Subam uma montanha de vez em quando. Pode ser até o Anhangava. Isso vai relaxar essa tensão de cidade grande que estou sentindo na fala de vocês e vai evitar esse consumo insano de Prozac e Cana”.

  • a montanha é pra todos,temos que ter a consciência de zelar por ela,em vez de ficarem só reclamando.
    ou vcs grandes montanhistas já sairão da genitália de suas mães fazendo rapel!!!!]
    A primeira vez que entrarão no mato era uns bosta ,da mesma forma que praticão bulin com os de hoje !!!
    Que exclusividade na montanha vai pro everest …….

Trackbacks/Pingbacks

mostrar/esconder trackbacks
  1. Os primeiros do ano: Anhangava e Pico Paraná | A Montanha
  2. Treino na montanha e as escadas do Pico Paraná | A Montanha

Comente