Atacão no Pico Paraná

Bate e volta corriqueiro pelo Pico Paraná. Depois da tradicional troca de idéias com o Dílson, seguimos nosso caminho montanha acima, sentindo um pouco os efeitos do calor e de uma semana inteira de trabalho. Paramos um tiquinho na bica e no Abrigo 01. Depois alcançamos o cume do Pico Paraná, e do litoral ouviam-se barulhos de trovão. Durante uma hora ninguém apareceu por lá. A nossa frente, vinda de Curitiba, uma massa escura de nuvens acompanhava a direção do vento, seguindo em direção ao Ibitiraquire. Quando a chuva finalmente atingiu o Camapuã, lá na frente, resolvemos descer. A água nos alcançou rapidamente, mas cessou quando chegamos no Abrigo 02. Depois seguimos constantes pelo molhado caminho até encontrarmos as luzes do crepúsculo na descida do Getúlio. E foi isso.

Fique Informado

Escolha a maneira como você gostaria de ser avisado dos próximos posts

Bookmark & Share

Compartilhe com os seus camaradas

2 Comments

  • que lindo. que saudade que eu estou de montanha. por aqui andou chovendo muito nos finais de semana do ano passado, aí, em janeiro choveu mesmo, despencou um monte de coisa, e o resultado é que tem meses que eu não faço nem uma caminhadinha básica =(

    • Saudade que estou da sua terra, Maria… Com bastante trabalho dos órgãos públicos, e com a colaboração da população e dos céus, as coisas hão de melhorar. Torço muito por isso. E espero que você e os seus estejam bem por aí. Grande beijo!!

Comente