Fotos do acidente que matou uma pessoa no Anhangava

Bastou uma tragédia para as visitas do site subirem. Uma morte na montanha aumenta em pelo menos 25% os acessos, especialmente se houver algo publicado relacionado ao assunto. Até mamãe, que subiu correndo o Morro do Canal na virada de ano de 2007 para 2008, ligou perguntando: Viu que morreu um fulano no Anhangava? É conhecido seu?

Não, mãe, não era. Mas veja que a questão nem é a morte do cidadão que estava de butuca no rádio e se ofereceu para ajudar no resgate, e que numa fatalidade caiu no buraco e morreu, e que daqui a pouco nem será mais lembrado, exceto pelos familiares. O lance é que três vacilões se perderam na região do Anhangava, o que causou a ação dos bombeiros e como sabemos, a morte de um voluntário.

Esta história só se tornou pública por conta do acidente, mas não dá pra ignorar que quase todo o final de semana alguém se perde ou faz algum tipo de merda nos cumes dos montes e nos interiores das serras. Se não tivesse acontecido o sinistro, saberíamos que ainda há gente que se perde no Anhangava? E tanto faz se é Itupava, Pão de Loth, Caratuva… dá na mesma.

O melhor conhecimento que o povo adquire antes de ir pra montanha, acredite você, vem dos programas de televisão, que ensinam o cara a comer fezes secas de gato e a montar abrigos improvisados com bromélias, ou dos manuais do escoteiro mirim, que ensinam a fazer fogueira e a andar com um canivete na cintura. E é lição pra mim e pra você, também, que não basta boa intenção pra se fazer operação de busca e salvamento, que o fato de conhecer bem uma região pode significar desconhecer os buracos perdidos na selva.

Minhas saudações aos bombeiros que efetuaram o resgate de uns e levaram o corpo de outro sem vida na mochila; espero jamais precisar de vocês. Meus pêsames aos familiares do voluntário; é triste saber que, na ânsia de ajudar, o cara acabou virando notícia de página funerária. Minhas lamentações aos perdidos; torço que tenham compreendido que o ambiente de montanha não é equivalente ao Parque Barigüi.

Ah, e as fotos, né? Tudo invenção. Só estava querendo fazer uso deste hype para enganar as pessoas que, com aquela curiosidade mórbida e irresistível, chegaram até aqui. Mas pensando bem, a foto abaixo até que casa com o assunto.

Update: a foto não é de onça. Obrigado pela ajuda de todos!

Crânio de porco do mato ou queixada encontrado na Serra do Ibitiraquire, entre o Ferreiro e o Guaricana.

Crânio de porco do mato ou queixada encontrado na Serra do Ibitiraquire, entre o Ferreiro e o Guaricana.

Fique Informado

Escolha a maneira como você gostaria de ser avisado dos próximos posts

Bookmark & Share

Compartilhe com os seus camaradas

14 Comments

  • Vinicius, isso me parece mais um crânio de queixada hein… e esse é mais perigoso do que onça! hehe
    Abraço

  • Onça ou Queixada? agora descubra.

  • Falou e disse guri!
    Assino embaixo.

  • É ISSO AI MEU REI, ESSE É PARECIDO COM O TEXTO QUE EU TINHA EM MENTE MAIS QUE JAMAIS TERIA CORAGEM DE PUBLIKR DESSA FORMA, MAIS UMA VEZ MEUS PARABENS.

  • Ola!!

    analisando a sua publicação.
    Achei você um tanto revoltado, e usou uma maneira falsa de divulgar o ocorrido.
    Não sei qual foi a sua intenção!
    1. Se era divulgar a morte do voluntário- (nessa situação penso – todos os voluntários seja qual for a situação na tentaiva de salvar vidas, esta correndo riscos, alias o próprio hábito de esportes radicais, ou não, ou um simples passeio pelas montanhas, existe riscos, mesmo tomando alguns cuidados necesários);

    2 . Se era ficar furioso com as pessoas que se perderam!!! ( oras todos tem o direito de fazer explorações e até de se perderem…. e todos tem o direito de querer ajudar, praticar uma boa ação… LIVRE ARBÍTRIO )..

    3 . Porque usar uma noticia falsa para querer divulgar mensagens legais, como você citou- como e qual o precedimento correto para se aventurar pelas montanhas.

    4. Francamente Marcus vinicius, não estou te julgando, mas existe outros caminhos para tentar corrigir, disciplinar situações como essa.

    5. Anteriormente ja havia navegado pelo site, pois conheço a fazenda pico paraná, conheço o Dilson, e ja elogiei você no passado pelas palavras que escreveste em uma de suas fotos…

    somos livres!!! não importa como…eu talvez falaria ou faria o mesmo que vc, mas usaria uma forma diferente para divulgar e conscientizar as pessoas de como devem circular pelas montanhas.

    namastê

  • Samar!! Há tempos, hein? Apareça mais vezes por aqui. Respeito sua opinião, mas não mudo uma palavra do que coloquei acima. Como você mesmo citou, a questão é de livre arbítrio, liberdade, essas coisas. Minha intenção era mostrar a foto do crânio que encontramos na floresta. E por sinal, ainda devo a resposta oficial: onça ou queixada, conforme levantado pelo Andrey. Abraços!

  • Zé arruela da cidade!!!
    AHSuHUAshUAsuAHsuHsuHAsuhA
    Crânio de onça…UAHSusauAsuasuUAsuAHshashuAsh…

  • Isso é um crânio de Porco-do-mato ou queixada.

  • Olá!
    De tempos em tempos acabo aqui visitando o site do amigo montanhista.
    E, logo hoje, acabei de ver isto:
    http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=907151&tit=Quatro-jovens-ficam-mais-de-sete-horas-perdidos-na-Serra-do-Mar
    Mais uma para o nosso amigo se sentir inspirado a escrever (rs.rs.rs.)
    Na mãe catira, às 19h de domingo. Os caras se foram e ficaram…. perdidos.
    Teve que chamar bombeiro para ir para casa.
    Eu até com guia experiente fico desconfiado.
    É isso aí, um grande abraço e essa carcaça me fez lembrar uma história muito engraçada aqui no norte do PR.
    Um grande abraço!
    Danilo
    Biker pé vermelho!
    PS. O Pico Agudo aqui no norte ainda continua lá! (rs)

  • Antonio José

    Interessante…
    O looongo texto do Samar me fez lembrar daquela frase: “Quanto mais a gente fala, mais a gente erra!”
    Aparentemente, verdadeira também quando se trata da escrita, mas nada que o corretor do Word não dê jeito.

    Piá, sei o quanto te emputece a coisa dos “farofas” se metendo na Serra, sem conhecimento, sem noção.
    Creio que “farofa” todos fomos, ou somos.
    Há quem diga que Montanhista é o “farofa” que deu certo, ou sorte.
    Eventualmente, os “farofas” da história terão como lembrança de sua aventura a morte de um companheiro Montanhista, o qual não conhecerão e com o qual nunca mais poderão cruzar nas montanhas.
    Nem eles, nem ninguém mais!
    Sinto por seus pais.

  • aquilo nãp tarece um crãnio de porcoo ! parece que o acidente foi horrivelmete horrivel !
    bjoss pessoall !amo vcs (risos)

  • ORLANDO FELISBERTO

    É QUIEXADA SIM! E A PROBABILIDADE DE ATAQUE A HUMANOS É MUITO MAIOR QUE O DA ONÇA, POIS, ELES NÃO FOGEM COMO OUTROS ANIMAIS QUANDO ESTÃO COM MEDO. A DEFESA DELES É O ATAQUE.

  • Alguns anos depois me deparo com esta postagem e venho reparar uma informação. O rapaz realmente morreu ao dar apoio numa busca e acabou caindo dentro de um poço abandonado no Morro do Pão de Loth, não no Anhangava como foi divulgado. Isto ainda hoje em dia serve de alerta para todos que andam nas Serras, existem fendas, buracos, poços e até fossas abandonadas pelos antigos, sob a vegetação, portanto cuidado!

  • Mesmo depois de tanto tempo penso…
    Será q 3 amigos não tem o direito de se divertir?? Se perderam, e um babaca quis ser “herói” e se fudeu.. Fazer o que, se tivesse deixado na mãos dos bombeiros, ele estaria vivo..
    E pelo jeito, alguém com tanta expediência em montanhas não adquiriu nenhum conhecimento em animais…

Comente