Jacutinga ou Ibitiguira?

A história começa sem códigos e com o Moisés e o Pacheco me intimando para irmos a montanha. Horas depois, precisamente às 4h20, estou num ônibus madrugueiro frio e vazio, tomando o rumo da casa do Fiori. E dali, para uma montanha acessível a partir da localidade de Bairro Alto, Antonina-PR, cujo nome me falaram que é Jacutinga 1149m, mas eu desconfio que seja na verdade Ibitiguira. Um trabalho desenvolvido por Tramujas pela UFPR em 2000 (A vegetação de campos de altitude no maciço Ibitiraquiri, Serra do mar no estado do Paraná), me faz acreditar nisso. Aguardo que os sommeliers do Ibitiraquire ajudem na busca de esclarecimentos.

A pernada foi bacana e tranquila, e também repleta de história, já que tivemos a oportunidade de passar por antigas construções com o propósito de armazenar água e gerar energia, tudo da década de 50. Do cume desta bela montanha se avista a face sudeste do Ibitirati 1850m e do Saci 1295m, além de outras montanhas da serra. Como tem sido costume ultimamente, o caminho contava com carrapatos, e claro que alguns indivíduos se acoplaram ao corpo e vieram conhecer Curitiba.

Na volta ainda passamos pela Piscina dos Elefantes, e foi esclarecedor ver aquele volume de concreto sendo tomado pela floresta atlântica. Depois tocamos pra civilização, e em São João da Graciosa degustamos cervejas e pasteis. Na rodovia eu peguei no sono algumas vezes, e no terminal de ônibus a cobradora reclamou de eu estar pagando a passagem com um nota de vintão.

Fique Informado

Escolha a maneira como você gostaria de ser avisado dos próximos posts

Bookmark & Share

Compartilhe com os seus camaradas

6 Comments

  • Julio Cesar Fiori

    Ibitiguira é nome feio e quase impronunciável, mas (acredito) ser o correto sob a perspectiva da história apesar de a muito tempo conhecer esta montanha por São João. Existem nomes que “pegam” e outros que não, assim como os apelidos no colégio e a própria existencia desta dúvida atesta que Ibitiguira nunca “colou”. A topominia não é estática e muda junto com as pessoas, portanto o nome Jacutinga não é absurdo e resta saber se vai “colar”. É isso aí, magrão e que não demore a próxima.

  • xô xuá, se eu tivesse vintão no bolso, não tava aki passando frio… tava pegando praia no nordeste…

    ;-P

    JOPZ

  • Grande Vinicius. Seguinte, quando começamos as pernadas por esta bela montanha, último trimestre de 2011, também ficamos em dúvida. Entretanto, quando pisamos no cume da Jacutinga e medimos sua altitude (1149 msnm) ficou claro que não estávamos no Ibitiguira. Meses depois, resolvemos a questão quando pisamos no cume do Ibitiguira – latitude 25°15’39.90″S e longitude 48°47’45.45″O -, que se encontra alinhado com a crista leste do Tupipiá. Lá medimos 1203 msnm, sendo que o Tramujas indicou a medida de 1213msnm. Como a acurácia do GPS é da casa de 10 metros, acredito que o erro se encontra dentro da incerteza prevista.

    Existe um terceiro cume – Ibitipaú – que se encontra na direção sul do Ibitiguira.

    Espero ter ajudado, grande abraço e em breve vamos aumentar a travessia dos Capivaris.

    • Confere. Existe o problema de nomes etc., mas tenho o Jacutinga, o Ibitiguira e o Ibitipaú marcados no meu Google Earth aqui. Se estiver correto, o Ibitiguira está nessas coordenadas aí mesmo, enquanto que o Jacutinga está a 25°15’7″S, 48°47’4″O. Abraço!

  • Salve moçada!

    Pertinente a questão da toponímia que cerca o Jacutinga.
    Também creio que o Jacutinga não é o Ibitiguira e isso fica claro numa acurada análise do trabalho do Álvaro Tramujas (ver mapa temático dele, na p. 54). O Ibitiguira fica praticamente alinhado no eixo norte-sul com o Saci/Sacizinho, e o Jacutinga, como cita o Pacheco, fica alinhado no eixo leste-oeste com o Tupipiá. Sem falar nas altitudes (1228m o Ibitiguira, segundo a Carta 1:25.000 “Rio do Nunes” (MI-2843-3 NE).

    Estes dias ainda conversava com o Pacheco a respeito da dúvida existente acerca de outros nomes anteriores para o Jacutinga. “São João”, citado pelo Fiori, ouvi de um morador do Bairro Alto mas não botava fé. Fora dali nada corroborou este nome. Estes tempos dei de cara com um velho livro na Biblioteca Pública que pensei trazer alguns indícios diferentes para a questão, mas lendo e relendo não cheguei a nenhuma conclusão satisfatória.

    Abraços!

  • Bem… depois dos comentários de meus ilustres camaradas, acho que ficamos com Jacutinga mesmo. Valeu piazada!

Leave a Reply to Julio Cesar Fiori