Os primeiros do ano: Anhangava e Pico Paraná

Primeiro sábado de 2010, dia 02, ainda estropiado pelos excessos de final de ano, saí de casa com duas latas de refresco na mão, rumo ao Anhangava. Eram 15h, algo em torno disso. Cansado, dirigi meu automóvel sossegado, sem pressa, curtindo o visual. Cheguei no Chiquinho, fechei a bota no pé e estiquei as juntas do joelho. Encontrei um pessoal do CPM e logo comecei minha subida. A chuva já se anunciava nas partes mais elevadas do morro e o calor também era forte. Na região da via Andorinhas, cruzei com o Fiori, mais um camarada cujo nome não lembro. Continuei a caminhada, a chuva chegou fortinha em seguida, depois da escadaria. Fui, fui, e toquei até o cume principal. Aí parou de chover. Tirei o chapéu, fiz minha oração, e resolvi voltar. No retorno, me encontrei novamente com a dupla escalando. Trocamos breves palavras, desci. Abri o carro, segui em direção a Quatro Barras, onde comprei outro refresco. A fim de variar o caminho, retornei pela estrada antiga da Graciosa.

Segundo sábado de 2010, dia 09, ainda mais estropiado pelos excessos de final de ano e por uma semana inteira de trabalho, saí de casa mais cedo, tipo 9h, rumo ao Pico Paraná. Passei pela residência do Natan, com quem dali continuei viagem. O tempo estava ruim, fechado e garoando. Na fazenda, depois do cadastro, tomamos nosso caminho. Eram 11h30 e permanecia chovendo. Subimos em nosso ritmo altamente fora de forma, com apenas 3 paradas, e eram 15h e qualquer coisa quando finalmente encontramos o cume do PP com muito vento. Tirei o chapéu e fiz uma oração. Breve descanso e momento de retornar, enfrentar a trilha completamente alagada. Outras boas horas de caminhada, e fizemos a última parada do dia, ainda com as finas cores do crepúsculo, no bonito cumezinho do Getúlio. Persistindo na descida, bora pra fazenda tomar refresco, chegando às 20h30 e totalizando 9h de caminhada. Bons tempos aqueles em que eu fazia bate-volta no Pico Paraná em 6h…

Algo me impressionou durante esta visita a Serra do Ibitiraquire. No caminho em direção ao Pico Paraná, acho que logo depois de descer o Abrigo 01, já é possível identificar um volumoso desmoronamento na encosta sudeste do Taipabuçu. Coisa muito grande em extensão, quase que do cume até o fundo do vale, com coloração marrom escuro, bem típica. Aí, do outro lado da serra, nas encostas do Luar, provavelmente – uma vez que as nuvens impediam melhor identificação, é possível ver outro grande desmoronamento, muito mais largo que o do Taipabuçu, mas com uma coloração esbranquiçada. Portanto, se aconteceu em Angra dos Reis, aconteceu aqui também. A diferença é que lá havia gente morando na montanha.

-x-x-

E da mesma forma como os Vigilantes do Peso, que usam um sistema de pontos para definir o que um indivíduo pode consumir durante o dia e assim poder emagrecer, estou instituindo os Vigilantes da Montanha. Quer perder peso, além de cuidar dos nossos píncaros e florestas? Então cada montanha, feita em determinado tempo, vale um tanto de pontos. Pico Paraná de ataque dá 7 pontos. Calculo que com uns 50 pontos por mês, conseguirei perder a barriga que eu ganhei neste final de ano. Preciso elaborar melhor este sistema.

-x-x-

Estou momentaneamente sem câmera fotográfica. Não há fotos novas, apenas antigas.

Abrigo 02 do Pico Paraná

Abrigo 02 do Pico Paraná

Fique Informado

Escolha a maneira como você gostaria de ser avisado dos próximos posts

Bookmark & Share

Compartilhe com os seus camaradas

21 Comments

  • Desenvolve logo esse sistema do vigilantes da montanha…
    Vi na 116, naquela serrinha perto de Pariquera Açu, muitos desmoronamentos tb…

  • Boa colega começou bem na montanha.

  • Haha!

    Se vc precisa de 50 pontos por mês pra perder a barriga, imagine eu então…

    Acho q vou precisar de 500…

    kkk

    Abrazos!

  • Dieta do peso…
    eu então to fudido, se fizer 10 pontos to praticamente morto! sumo!
    e o hilton, 500 pontos é utopia, das maiores!
    se ele conseguir vai ser escalando, pq andando tah igual eu!
    []s

  • E as montanhas de SC valem quanto no sistema de vigilantes?!

  • Opa Renato…

    Segundo um colega q esteve caminhando numas ontanhas ao lado de Florianópolis em pleno verão, estas montanhas devem valer o dobro kkk…

    :)

  • Tô sacando que discutir na lista da Fepam gasta muito mais pontos do que ir pra montanha :-)

    Abraços piazada!

  • Acho que o PP de ataque deveria valer pelo menos 10 pontinhos!!!

  • subir o monte crista de ataque e ir até o pico da igrejinha acho que da direito a uns 10 pontos tbm!

  • Luiz Carlos Silva

    Muito legal o blog, gostei dos posts, tbm sou de curitiba e estou começando subir os morros aki do paraná. Sou de cuitiba (tbm) e semana passada subimos eu e dois amigos, o morro do tucum, antes eu já havia subido o tucum e camapuã juntos, e antes ainda o do marumbi, mas eu tenho uma dúvida, será que consigo subir o pp sem conhecer a tilha ? estou muito interessado em ir, por isso lhe peço essa dica… valeu irmão, e boas conquistas !!!

  • Luiz, respondido por e-mail. Em breve eu criarei um FAQ sobre o Pico Paraná para acesso coletivo.

  • Hoje o desmoronamento no Taipabuçu também está branco, exatamente como o do Luar, imagino que foram ambos causados pela retirada dos degraus. Isto ocasionou variantes na trilha que acabaram por abalar as encostas adjacentes. A cor branca é uma incógnita, mas não descarto a possibilidade de algum coxa fanático ter encontrado uma liquidação numa loja de tintas depois do último rebaixamento.

  • Legal ler os textos na época certa.
    Mas nas incertas ainda mais.

    Já é dezembro. O coxinha subiu, mas a tinta branca vai entrar de novo na promoção.
    Vigilantes da montanha?
    Quem sabe em 2011.
    Cuidado com o sapo.
    Ele pode ser mais forte q ti.

  • Ah… o tempo passa, o tempo voa, e a barriga da moçada continua numa boa. E este sapo aí, Johny, é daqueles que os índios usam pra matar macaco? Ou daqueles que, depois de lambidos, levam para o mundo das grandes idéias? E o que não deu em 2010, dá em 2011. Abraços!

  • Olá! Montanhismo é show de bola. Nas pescarias com meus cunhados, eu pratico o que aprendi em meus curso de sobrevivência de quando era militar. Adoro passar noites no mato, com um parco quite de sobrevivência, dormindo em abrigos feitos por mim. Quem sabe, um dia a gente se cruza, especialmente porque o tal Anhangava é cenário de ocorrência do fenômeno chupacabras, assunto que me fascina. Abraços!

  • E lá se foi mais um ano!
    O PP continua o mesmo?
    Aparentemente sim…
    mas apenas aparentemente.

    Grande sapo cururu que tudo sabe, esqueça um pouco de algo e volte a habitar nosso grande e perene lago.

    Será que ainda garoa na montanha?

    []s
    E o que não deu em 2011, q dê em 2012

  • E não é que é chegado o ano de 2013!!!
    Ainda não foi para a SDI, mas as turmas do TST já decidiram: Os vigilantes do peso podem mandar embora seus funcionários se engordarem, ah! e isso não gera danos morais…
    Hilton, é bom fazer algo, ou os vigilantes da montanha terão o direito subjetivo de te expulsar!
    Até quando vamos com nossos posts anuais?
    Cumpre salientar que parte do mundo está hj de luto: Chavez deixou a vida para entrar pra história.
    Não dei em 2012, e por ora 2013 tb não será o ano!
    Mas fiel ao argumento: o que não der em 2013, que dê em 2014!
    Finalmente ressalto que não apareci na cumeada do Pico Paraná este ano e por isso não posso afirmar se realmente modificou-se ou não.
    Tb não confirmo se o sapo que por lá habitava foi extinto, mas acredito que no máximo ele trocou de bandas!
    []s

    • Hahaha… é verdade… e não é que finalmente chegou 2013? Eu também te pergunto, até quando irão esses posts cuja frequência de resposta é a cada ano? Por outro lado, é interessante ler o que escrevemos, e isso tem desde 2010. Se perdemos a barriga? Capaz! A gente perde quando vai pra altamontanha, e ganha tudo a partir de novembro, quando das festas de fim de ano. Sei lá. Quero ver em 2014. Será que este ano, por exemplo, faremos alguma montanha juntos? Se sim, tenho certeza que o carcará vai catar o sapo e servir de refeição à sua família.

  • E não é que o sapo morreu e foi servido a caminho do Pico X.
    Não foi servido frito, mas num grande ensopado temperado com o mais fresco mato. Uma prazer saborear tamanha iguaria na presença de louváveis colegas!
    2014 não estarei muito presente nas serras do carcará, mas mergulharei por outras bandas!
    Mais um ano se passou sem que ao PP eu fosse, assim continuo sem saber se ele mudou…embora tenha certeza que ele mudou e não mudou ao mesmo tempo.
    Vejo que as montanhas estão mt mais dentro do montanhista que fora dele.
    Sabe, não vou às montanhas simplesmente pq elas estão lá, mas pq o ser apenas é, enquanto lá se está. Afastar-se das montanhas é um caminho ao não ser.
    E que este ano a gente deguste de mais um belo sapo, defronte às paredes que nada sabem, apesar de tudo ver.
    Enquanto o carcará seguir a espreita, haverá garoa na serra, haverá amigos e boas histórias pra contar, lembrar e testemunha!
    Sinceros []s

  • Ah, 2015!!!
    O último post recebeu não só um reply, mas um artigo todo para ele!
    Já se vai meia década, e de fato o tempo voa. Continuo sem saber se o PP mudou, mas como um homem nunca se banha no mesmo rio, certamente, o PP não é mais o mesmo.
    Escrevo de Araripina, um Sertão dentro do sertão, e ao olhar no site as fotos do PP visto do luar, me lembro dos idos de 99 quando lá ainda nunca havia estado e as poucas fotos que tinhamos a disposição nos borbulhavam de desejos que hoje são transformados em nostalgia…
    As montanhas ainda estão lá, nós que não mais estamos, embora sim em outros locais.
    Nesta páscoa estarei por essas bandas, colocarei mais uma vez a bota com cheiro de terra humida, as calças já rasgadas, a camiseta que conhece todos os cantos da serra e irei atrás do sapo mais uma vez, quem sabe o carcará mostrará o caminho mais preciso novamente!
    O facão continua afiado.
    Muito sucesso nesse ano que mal começou, mas logo acabará!
    []s

Trackbacks/Pingbacks

mostrar/esconder trackbacks
  1. Outra pernada no Pico Paraná | A Montanha

Comente