Voltando da Bolívia

Lá se vão 10 dias desde que regressei da Bolívia. Esta distância no tempo me fez voltar à realidade e entender melhor toda a viagem, essa minha primeira experiência em alta montanha. Exceto pela falta de um cume pra mim, foi tudo muito bom. Valeu pelo aprendizado, pelo mate de coca e por todo o artesanato, pelas belas paisagens e pelo ar rarefeito. Acredito que não consegui realizar o desejo de escalar o Huayna Potosi 6.088m por uma grande série de fatores, sendo determinante não ter feito uma boa aclimatação e não ter o condicionamento necessário. Frio não passei. Aqui em Curitiba é mais gelado que La Paz. Faltou paciência e melhor preparo. Mas tudo bem. Na próxima será diferente.

Entretanto, meu amigo Natan conseguiu seu objetivo. No ataque ao cume, enquanto minha cabeça explodia de dor e eu lutava para respirar pela boca, já que meu nariz estava totalmente fechado, e assim abortava a subida e retornava ao campo avançado a 5.135m, ele seguiu bravamente sob uma baita nevasca até os mais de 6.000m da montanha, chegando ao cume próximo das 7h da manhã. Parabéns ao meu amigo, por esta conquista, e por ter sido um grande companheiro em toda a viagem. Afinal, me aguentar é foda.

E a parte mais impressionante de toda a expedição ficou reservada para o final: o retorno a Curitiba de ônibus. Foram 2 dias pelo interior da Bolívia, até atravessar a fronteira, em estradas e ônibus extremamente suspeitos e sem um puto no bolso; depois outro 1 dia e meio até nossa cidade. Pena que me falte talento para descrever o que passamos nestes dias.

Mas eu agradeço a Deus pela chance de estar vivo e ter vivido o que vivi. De coração. Quando cheguei no cume do Chacaltaya me emocionei até chorar, por estar tendo a chance de ver uma montanha gelada pela primeira vez na vida. Foi muito bom. Também agradeço aos meus amigos da montanha ou não, que de alguma forma torceram ou ajudaram. À minha família, à minha pequena, a todo mundo. Na oportunidade seguinte, mal da montanha algum há de me pegar.

Fique Informado

Escolha a maneira como você gostaria de ser avisado dos próximos posts

Bookmark & Share

Compartilhe com os seus camaradas

8 Comments

  • Isso ai cara, vc já fez muita montanha montanha mais dificil aqui no Brasil, mas a alta montanha assusta. No começo tudo é novidade, mas depois a gente pega a manha e escala tudo, quando o tempo deixar.
    Essas viagens são muito impressionantes, a Bolívia nos dá uma mistura entre angustia e admiração é um diferente que a gente vive descobrindo e redescobrindo. Com o asfaltamento da estrada pra La Paz, ir pra lá vai fica muito rápido e barato.

    abrazos e aproveito o restinho de temporada por ai

  • Parabéns pela viagem, torço pelo cume na próxima empreitada! :-)

    Eu ainda não tive a oportunidade de subir uma alta montanha, mas já fiquei emocionado algumas vezes só de chegar até a base, ou lendo relatos dos que chegaram, seja em livros ou mesmo artigos.

    Publique mais fotos e mais relatos, é sempre bom lê-los!

    Grande abraço.

  • Grande amigo! Parabéns pela aventura! As montanhas não saem do lugar, estão sempre lá, esperando a gente.

    Grande abraço!

  • Seu Maloquero, realmente te alguentar não é facil, mas mesmo assim vc continua sendo um grande companheiro.

  • Miriam Chaudon

    E aí Vinícius ! Voltou de viagem! Bela viagem…
    Parabéns pela aventura…mais uma entre muitas já feitas e outras que estão por vir,não é mesmo? Bom retorno.

  • pooo, bem legal o relato e as fotos, to progamando minha primeira aventura rsrs
    aliaás, tava procurando uma barraca nova, encontrei um site legal, fica aí a dica
    http://www.equipamentoscamping.com.br

  • Alisson Cotrim Wosniak

    Seu puto!!!
    Pare de frescura.

    Foi tudo muito bom.
    Até.

  • Piazada, grande abraço pra vocês!! Valeu aí por tudo.

Comente